Rapazoi
Rapazoi

Secretária da Saúde anuncia novos e importantes serviços para o Hospital Materno-Infantil Dr. Joaquim Sampaio em 2024

 



Ao comemorar os seus dois primeiros anos de funcionamento, o Hospital Materno-Infantil Dr. Joaquim Sampaio, em Ilhéus, recebeu ontem (06) da secretária estadual da Saúde, Roberta Santana, excelentes notícias sobre ações do governo para a ampliação dos seus serviços. A secretária parabenizou a unidade pelo processo de habilitação junto ao Ministério da Saúde para recebimento de incentivo financeiro com o objetivo de realizar a atenção especializada à população indígena da Bahia.


A unidade – administrada pela Fundação Estatal Saúde da Família (FESF SUS) -passará por modificações físicas e por mudanças no processo de acolhimento para a prestação de serviços de saúde às mulheres e crianças indígenas. O Materno-Infantil será o primeiro hospital especializado a este perfil de atendimento. Mas não fica por aí. Em parceria com a Sesab, se comprometeu a liderar o processo de implantação do mesmo serviço em outros hospitais do estado. Na reunião estiveram presentes os secretários municipais da Saúde de Ilhéus e Itabuna, respectivamente, Eduardo Nora e Lívia Mendes, sendo iniciadas tratativas junto ao Hospital Regional Costa do Cacau (Ilhéus) e o Hospital de Base (Itabuna), que também se interessam pela implantação da especialidade. 


*Fazer com excelência*


Com o projeto já aprovado em todas as instâncias, o Hospital Materno-Infantil colocará em prática as diretrizes gerais que norteiam o programa, que vão desde a melhoria no acesso das populações indígenas ao serviço especializado; adequação da ambiência de acordo com as especificidades culturais; e ajuste de dietas hospitalares considerando os hábitos alimentares de cada etnia. A iniciativa conta ainda com o acolhimento e humanização das práticas e processos de trabalho dos profissionais em relação aos indígenas e demais usuários do SUS, considerando a vulnerabilidade sociocultural e epidemiológica de alguns grupos.


A Bahia conta com a segunda maior população indígena no país, com 229.103 pessoas, o que representa 1,62% dos habitantes do estado. Salvador é a segunda capital mais indígena do Brasil. No ranking das 50 cidades do Brasil com maior comunidade do grupo étnico, a Bahia ainda conta com Porto Seguro, em 14°, e Ilhéus, 21°. Entre a pesquisa de 2010 e de 2022, ocorreu em todo o Brasil um acréscimo de 88,8% no contingente absoluto de pessoas que se autodeclararam indígenas.


*Anemia falciforme*


Um outro público que ganhará importantes benefícios desta parceria da Sesab com o HMIJS é o de portadores da doença falciforme. Por orientação da secretária, o hospital vai encaminhar um projeto para a implantação de um ambulatório transfusional para a realização de procedimentos de hemotransfusão, que vem a ser a transferência de um hemocomponente ou hemoderivado de um indivíduo (doador) a outro (receptor). Os falcêmicos também vão passar a contar com serviços de Fisioterapia  Respiratória e exames laboratoriais e de imagem. Com essas novas demandas, o estado também planeja ampliar o espaço ambulatorial e da enfermaria do HMIJS. Novas cirurgias pediátricas como a esplenectomia (retirada do baço) e colecistectomia (retirada da vesícula) passarão a fazer parte dos serviços prestados a este público.


*Ampliação*


Ainda de acordo com o que ficou estabelecido na reunião com a secretária da Saúde, o serviço de Tomografia até aqui realizado apenas em crianças, passará também a ser oferecido para as mulheres adultas. A Emergência Pediátrica que hoje funciona para atendimento dos casos de alta complexidade, com um plantonista, passará a ter dois, para atender a demanda da baixa complexidade ofertada nos postos de saúde do município e da UPA 24h. Trata-se de um pedido do secretário Eduardo Nora. A secretária Roberta Santana também anunciou para breve, a realização de cirurgias ortopédicas pediátricas no HMIJS.


*Planejamento*


No próximo dia 14, a diretoria do Materno-Infantil se reúne com o superintendente de Atenção Integral à Saúde da Sesab, Karlos Figueiredo, para planejar as prioridades e discutir as necessidades e prazos de cada novo serviço anunciado. De acordo com a diretora-geral do Hospital Materno-Infantil, enfermeira Domilene Borges, “são ações que irão acontecer a partir de 2024, a curto, médio e longo prazos”.


*Números marcantes*


Obra do Governo do Estado, inaugurada em dezembro de 2021, o HMIJS já ultrapassou a marca de seis mil partos realizados, 12 mil internações, 18 mil atendimentos e 417 mil exames clínicos, laboratoriais e de imagens. É a primeira maternidade 100 por cento SUS da região sul do Estado. Possui 105 leitos para obstetrícia, partos normal e de alto risco, pediatria clínica, UTIs pediátrica e Neonatal.

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem